O sorocabano Átila Abreu passou por nova avaliação nesta quinta-feira, e os médicos recomendaram que ele não participe no próximo fim de semana da etapa do Velo Città da Stock Car. O substituto será Vitor Baptista, piloto da Academia Shell Racing.

No dia 6 de abril, durante o treino classificatório da prova de abertura, no Velopark, o piloto da equipe Shell V-Power sofreu uma fissura na vértebra L2, e não disputou a prova. Depois de alguns dias de repouso, Átila passou por até três sessões diárias de fisioterapia e retomou sua rotina normal.

No entanto, novos exames de imagem apontaram que o local ainda não está totalmente calcificado, e que por isso não seria recomendável a Átila correr. Embora o piloto se sinta fisicamente apto, um eventual novo acidente sem a cicatrização completa seria um problema, razão pela qual os médicos recomendaram que ele não participe da rodada dupla em Mogi Guaçu. A Shell vem dando todo o apoio ao sorocabano, que estará no Velo Città no fim de semana para contribuir com a equipe fora da pista.

Para o lugar de Átila, foi escalado VItor Baptista, atual campeão da Porsche Carrera Cup 3.8, líder deste ano na principal divisão da Porsche Cup, a Carrera Cup 4.0, primeiro vencedor do Porsche Junior Program, além de campeão da Euroformula Open. Ele vai correr com o #120.

Átila e Vitor Baptista já estavam em contato desde a última semana, e o piloto da Porsche Cup já vinha se preparando para eventulamente substituir o titular da Stock Car. Nos últimos dias, eles compartilharam os dados da última prova da Stock Car. Átila ainda mandou fazer um macacão para Vitor, inclusive com seus patrocinadores pessoais, e o piloto paulista já esteve na sede da equipe Shell V-Power no feriado de 1º de maio para fazer posição de banco e conversar com os engeheiros com os quais começará a trabalhar a partir desta sexta-feira.

O que eles disseram:

“Infelizmente clinicamente ainda não estou 100%. Eu me sinto bem melhor, com mobilidade e sem dores, mas infelizmente ainda não deu para liberar do ponto de vista médico para competir em alta performance numa categoria disputada como a Stock Car. Se por um lado, existe essa frustração, por outro fico contente em saber que temos a possibilidade de substituição dentro de casa. A entrada do Vitor Baptista era minha primeira opção desde o início caso eu não pudesse competir. É um piloto muito novo, mas que mostrou maturidade e velocidade conquistando um título na Europa, representando bem a Shell na Stock Light e com o campeonato na Porsche Cup. Ele já venceu algumas corridas este ano e está em grande forma. É positivo fazer parte da Academia Shell Racing porque facilita para solucionar algum problema como o que estou enfrentando agora. Vou para o Velo Città com a mesma motivação de sempre, trabalhando de fora do carro #51 para tentar desenvolver nossa máquina ao máximo. Na minha condição, um problema seria um novo acidente, porque a parte óssea não tem como apressar a regeneração, estava me sentindo pronto, mas também trabalhava com o cenário de não conseguir competir. Por isso eu já estava em contato com o Vitor, mandei fazer macacão para ele, e sei que ele esteve na equipe fazendo posição de banco. Vamos trabalhar juntos para colocar o carro no pódio, onde esteve nos últimos dois anos.”
Átila Abreu, piloto do carro #51

“É uma honra sentar no lugar do Átila Abreu, e também responsabilidade muito grande de representar o que ele representa, toda a carreira dele, a Academia Shell, o campeonato da Stock Car, e os patrocinadores que o apoiam. É uma enorme oportunidade para mim, estou muito feliz por ter sido escolhido para representar o Átila e a equipe nessa segunda etapa. A Academia Shell faz com que o piloto se sente no carro e acelere, sem se preocupar com nada. Recebi esse convite e meu trabalho vai ser acelerar no carro da Stock Car pela primeira vez, e estou pronto para esse desafio na carreira. Agradeço à Shell e ao Átila por confiarem no meu trabalho. Será um fim de semana curto e vou fazer o máximo para representar bem a equipe. Daqui, desejo melhoras para o Átila”
Vitor Batista, piloto do carro #120

“Do ponto de vista da Shell, saúde e segurança estão em primeiro lugar. O Átila vai ter todo o tempo do mundo para se recuperar e para que ele possa voltar em plenas condições de assumir o carro titular da equipe. Estamos dando todo o apoio para o Átila, inclusive um trabalho que ele vai contribuir com a equipe fora do carro no fim de semana para termos acesso à experiência dele para a evolução do nosso time. De acordo com o nosso programa, o Vitor é o piloto mais preparado para substituir o Átila, vindo de um título da Porsche, e vitória nas últimas três corridas. Ele está 100% disponível para representar a marca nessa corrida em que o Átila não poderá estar”
Vicente Sfeir, gerente de patrocinio e motorsport da Raízen

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.