Imagem: Carsten Horst
Por: Luis Ferrari

A hegemonia do Chevrolet #51 em pistas novas da Stock Car foi quebrada. Apesar de um esforço grande em Campo Grande, que retornou ao calendário da maior categoria do Brasil após quatro anos, Átila Abreu não conseguiu avançar além do 14º posto na corrida 1 e do 13º lugar na segunda prova.

Ao menos as 11 posições conquistadas pelo piloto da equipe Mobil Super Racing serviram ajudaram o vice-campeão de 2014 a permanecer entre os 15 melhores do campeonato.

“Com o carro que a gente tem, saímos até no lucro, porque a performance foi muito baixa. Cheguei pela experiência de corrida, sabendo que seria importante pontuar e levar o carro até o fim evitando acidentes. Nossa realidade não era nem para andar entre os 15”, admitiu o competidor sorocabano.

Largando de 24º na primeira prova, Átila avançou para 18º até a abertura da janela de paradas nos boxes. A exemplo da corrida passada em Cascavel, ele estendeu seu primeiro stint e saiu do pit em 14º.

“Ia parar uma volta mais à frente, mas temia a entrada do safety-car em razão de um carro rodado na curva 1. Ideia era aproveitar a pista livre e usar o botão de ultrapassagem, trocar apenas um pneu e tentar ganhar posições no box, para tentar chegar entre os 10 e sair mais à frente na segunda prova. Foi uma boa troca e poderia ter sido melhor. Acabei parando um pouco à frente do ponto ideal e dificultando para os mecânicos. Mas o tempo que perdemos ali não fez tanta diferença no retorno à pista, já que quem vinha à frente realmente estava bem mais rápido”, relatou Átila.

Na segunda bateria, largando em 14º, ele acabou favorecido pelo abandono de um adversário que vinha à frente, terminando em 13º.

“Como corrida valeram os nove pontos. Perdemos algumas posições no campeonato. Mas a verdade é que entre 12º e 15º não muda tanta coisa. O que precisamos é voltar a ganhar corridas. Agora temos um mês de intervalo até a próxima etapa e vamos trabalhar para retomar a performance do ano passado”, acrescentou.

A próxima etapa da Stock Car acontece em Curitiba no dia 18 de outubro.

Resultado da corrida 1 em Campo Grande:
1-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – 30 voltas
2-) 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 1s840
3-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 10s347
5-) 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 11s270
6-) 88 Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 12s263
7-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 15s434
😎 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 16s570
9-) 4 Julio Campos (Prati-donaduzzi) – a 16s850
10-) 0 Cacá Bueno (Shell Racing) – a 17s376
12-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – a 18s492
13-) 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 24s765
14-) Átila Abreu (Mobil Super Racing) – a 25s986
15-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 28s937
16-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzz)i – a 29s191
17-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 29s682
18-) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 30s857
19-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 35s046
20-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) 36s582
21-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 51s705
22-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 1 Volta
23-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – a 1 Volta
24-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 4 Voltas
25-) 72 Fabio Fogaça (Hot Car Competições) – a 6 Voltas
26-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 6 Voltas
27-) 11 Cesar Ramos (Total Racing) – a 8 Voltas
28-) 12 Lucas Foresti (AMG Motorsport) – a 21 Voltas
29-) 2 Raphael Matos (Schin Racing Team) – a 21 Voltas
30-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 21 Voltas
31-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 24 Voltas
32-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 25 Voltas

Resultado da corrida 2:
1-) 88 Felipe Fraga( Voxx Racing Team) – 18 voltas
2-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 0s553
3-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 1s190
4-) 111 Rubens Barrichello (Red Bull Racing) – a 1s571
5-) 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 2s125
6-) 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 4s634
7-) 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 4s634
😎 73 Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 5s170
9-) 77 Valdeno Brito (Shell Racing) – a 5s906
10-) 14 Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 9s049
11-) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 12s696
12-) 80 Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – a 13s668
13-) 51 Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 14s420
14-) 83 Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 15s608
15-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competiçõe)s – a 18s066
16-) 46 Vitor Genz (Boettger Competições) – a 18s712
17-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 19s019
18-) 8 Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 24s259
19-) 9 Gustavo Lima (ProGP) – a 34s152
20-) 4 Julio Campos (Prati-donaduzzi) – a 3 Voltas
21-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 4 Voltas
22-) 74 Popó Bueno (Total Racing) – a 9 Voltas
23-) 110 Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 10 Voltas
24-) 11 Cesar Ramos (Total Racing – a 11 Voltas
25-) 25 Tuka Rocha (União Química Racing) – a 12 Voltas
26-) 1 Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 14 Voltas
27-) 70 Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 17 Voltas
28-) 72 Fabio Fogaça (Hot Car Competições) – não largou
29-) 12 Lucas Foresti (AMG Motorsport) – não largou
30-) 2 Raphael Matos (Schin Racing Team) -não largou
31-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – não largou
32-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – não largou

Campeonato após nove etapas (top15):
1. Marcos Gomes 209
2. Cacá Bueno 175
3. Daniel Serra 156
4. Rubens Barrichello 142
5. Allam Khodair 140
6. Thiago Camilo 138
7. Max Wilson 136
8. Julio Campos 133
9. Ricardo Mauricio 128
10. Valdeno Brito 120
11. Sergio Jimenez 93
12. Felipe Fraga 93
13. Ricardo Zonta 93
14. Diego Nunes 90
15. Átila Abreu 89