O domingo de Átila Abreu na segunda rodada dupla da temporada-2017 da Stock Car, no Velopark, começou com dificuldades mas terminou com um recorde: o piloto da Shell Racing conquistou 23 posições na segunda prova do dia, melhor marca de um competidor no ano, e terminou em quarto, mesma posição que ocupa na classificação do campeonato.
 

Na primeira prova do dia, tanto Átila, como seu companheiro de equipe Ricardo Zonta, foram envolvidos numa colisão causada por Vitor Genz na chicane logo após a largada. Átila caiu para último, continuou na pista e até ganhou quatro posições, mas decidiu abandonar porque o carro ficou com problemas de dirigibilidade após a colisão.

Com muitos botões de ultrapassagem à disposição para a segunda prova, Átila partiu para a recuperação e passou oito pilotos na primeira volta. Depois, com mais ultrapassagens, e contando com incidentes à sua frente, conquistou mais 15 posições.

 
O resultado poderia ter sido ainda melhor se não houvesse uma longa intervenção do safety car, o que reduziu o tempo de bandeira verde e impediu que a estratégia da Shell Racing fosse potencializada ao máximo.
 
Mesmo assim, Átila ainda terminou em quarto lugar, utilizando com inteligência os acionamentos do botão de ultrapassagem para se manter perto dos líderes e impedir os ataques de quem vinha atrás.
 
A próxima rodada dupla da temporada da Stock Car também será no Rio Grande do Sul, dia 21 de maio, no autódromo de Santa Cruz do Sul. Átila conseguiu até hoje um pódio na pista, em 2009, com o terceiro lugar
 
O que eles falaram:
“Ricardo Zonta e eu tínhamos conversado para sermos cautelosos na largada e assim fomos mas o Genz bateu no Zonta e eu estava numa linha mais defensiva para tentar escapar e ficou num ponto em que o Zonta me levou. Voltei com o carro desalinhado, passei uns três carros, o carro ficou traseiro e furou o pneu. A segunda corrida também foi conturbada, o carro não ficou 100%. Os mecânicos fizeram um ótimo trabalho para recuperar o carro, mas havia uma questão de acerto mesmo. Não era o carro mais rápido, mas sabia que era importante pontuar pensando no campeonato. Conseguimos escapar de algumas situações e avançamos. Conseguimos escapar do acidente do Pizzonia e do Foresti e o safety car foi muito longo, o que foi ruim para nós. Nós tínhamos muitos pushes para usar, tanto que terminei com oito e havia muito combustível. O safety car teria nos ajudado, mas ele ter sido tão longo nos atrapalhou. Se não fosse isso, teríamos chegado ao pódio. Mas bola para frente, salvamos bons pontos, o prejuízo não foi tão grande diante da situação que foi criada. Agora é trabalhar para a etapa de Santa Cruz do Sul”
Átila Abreu, piloto do carro #51
“Estávamos com os carros preparados para terminar muito bem as mais de 80 voltas previstas. Foi uma pena. Um erro meio inconsequente do Vitor Genz nos custou muito caro, se não teríamos pontuado muito mais. A segunda corrida ainda teve um safety-car muito longo, o que acabou ajudando os concorrentes que precisavam de mais combustível. Caso contrário estaríamos no pódio, talvez até com os dois carros. Agora vamos para frente ver o que podemos melhorar para Santa Cruz do Sul”
Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing

Resultado segunda prova

1º F. Fraga – 41m31s902
2º V.Brito – a 2s173
3º M.Gomes – a 2s991
4º A.Abreu – a 3s990
5º R.Barrichello – a 4s479
6º R.Zonta – a 5s395
7º D.Serra – a 6s463
8º R.Maurício – a 9s250
9º T.Camilo – a 10s559
10º G.Salas – a 14s660
Campeonato de pilotos
1º T.Camilo – 69 pontos
2º D,Serra – 69
3º M.Wilson – 56
4º A,Abreu – 51
5º R.Maurício – 51