Saiu a primeira vitória de Átila Abreu na temporada-2017 da Stock Car! E de uma forma que parecia roteiro de filme, tamanhas as reviravoltas vividas pelo sorocabano na rodada dupla da Stock Car no Velo Città.

Diante de parentes e amigos, já que o autódromo em Mogi-Guaçu fica a apenas 160 quilômetros da sua cidade natal Sorocaba, Átila tinha grandes expectativas para a primeira corrida, já que ele largava na pole, mas a vitória veio mesmo na segunda bateria.

Isso porque metros depois da largada da primeira corrida, Átila foi acertado por um adversário e teve um pneu furado, o que o obrigou a um pit stop no fim da segunda volta. O piloto do carro #51 voltou numa distante 28ª colocação, mas mostrou que nada estava perdido.

Orientado pela Shell Racing a manter a calma e não gastar os acionamentos do botão de ultrapassagem, Átila aproveitou as intervenções do safety car para colar nos concorrentes, fazer o pit stop na hora certa, e ficar numa condição de ainda conseguir um top 10.

Com um ótimo rendimento do carro, mesmo sem abusar do push to pass, foi exatamente o décimo lugar que Átila conseguiu, o que proporcionou a ele largar na primeira posição também na segunda corrida.

Sem ser acertado na largada da segunda bateria, Átila manteve a liderança e conseguiu pista limpa para impor um forte ritmo e usar o botão de ultrapassagem a cada duas voltas.

No fim, o piloto da Shell Racing administrou a vantagem na liderança e venceu pela nona vez na Stock Car, a terceira no interior paulista – as outras foram em Ribeirão Preto.

Em terceiro no campeonato, a 42 pontos da liderança, Átila Abreu volta a pilotar o carro #51 na etapa de Londrina, a ser disputada no dia 10 de setembro.


O que disse Átila Abreu:

“Nem o melhor roteirista de cinema conseguiria escrever que eu ganharia a segunda e não a primeira corrida. O fim de semana tinha começado muito bem, tive a pole position, mas depois do que aconteceu na primeira prova, com o pneu furado, o restante tinha tudo para ser uma tragédia. Mas o importante é nunca perder a fé e ter confiança de que as coisas vão dar certo. Quero agradecer a Shell Racing, que me deu um carro perfeito e me acalmou e deu tranquilidade após os problemas. O trabalho da equipe foi perfeito e todas as decisões foram certas. Fui orientado a não gastar push na primeira prova e com isso tinha push para todas as voltas na segunda prova. Não consegui descontar tantos pontos assim porque meus concorrentes foram bem, mas o campeonato é assim. Temos de descontar pouco a pouco até chegarmos à última etapa, com pontuação dobrada. Vamos tentar chegar em Interlagos no máximo uns 15, 20 pontos atrás. Velo Città, fique para sempre na Stock Car!”
Resultado da 1ª corrida:

1º F.Fraga – 42m11s051
2º C.Bueno – a 1s856
3º V.Genz – a 3s122
4º T.Camilo – a 4s248
5º A.Pizzonia – a 5s367
6º G.Osman – a 6s485
7º S.Jimenez – a 9s158
8º D.Serra – a 9s545
9º G.Casagrande – a 9s855
10º Á.Abreu – a 10s143
Resultado 2ª corrida:

1º Á.Abreu – 42m15s424
2º D.Serra – a 0s824
3º G.Casagrande – a 11s889
4º T.Camilo – a 12s395
5º J.Campos – a 23s949
6º A.Pizzonia – a 26s899
7º C.Ramos – a 29s126
8º A.Khodair – a 30s533
9º V,Genz – a 33s224
10º C.Bueno – a 34s817
Campeonato:

1º D.Serra – 209 pontos
2º T.Camilo – 192
3º Á.Abreu – 167
4º F.Fraga – 153
5º M.Wilson – 147