Depois de um quinto e um segundo lugares na primeira rodada dupla da temporada-2017 da Stock Car, em Goiânia, Átila Abreu chega para a segunda etapa do ano, no Velopark, em Nova Santa Rita-RS, com ótimas expectativas e a possibilidade de assumir a liderança do campeonato.

O piloto da Shell Racing é o terceiro na tabela, com 37 pontos, e está a apenas três da liderança. E o Velopark traz ótimas lembranças para Átila, que em 2011 conquistou uma de suas vitórias mais lembradas na categoria, com uma arrojada ultrapassagem debaixo de chuva sobre Thiago Camilo poucos momentos antes do encerramento da prova. Naquela ocasião, a vitória no Velopark deu a liderança do campeonato para o piloto do carro #51.

Para ele, as características do circuito gaúcho, com suas retas curtas e freadas fortes, tornam a busca pelo acerto ideal do carro um grande desafio. Isso sem falar no trabalho constante que o piloto tem e as dificuldades com o superaquecimento dos freios, pelo menor tempo de refrigeração.

Outro aspecto que pode interferir no desenrolar da prova é a quantidade de intervenções do safety car. Para se ter uma ideia, nas últimas seis provas no Velopark, houve a necessidade de o carro de segurança neutralizar a corrida.

O primeiro treino livre será disputado a partir das 12h30 desta sexta-feira. No sábado, o terceiro treino livre será realizado às 9 horas, enquanto o treino classificatório para a definição do grid da primeira corrida começa às 13 horas, com transmissão ao vivo do SporTV 2.

No domingo, a largada para a primeira bateria também está prevista para as 13 horas, e a prova será exibida ao vivo pelo SporTV 2, assim como a segunda corrida do dia – ambas as baterias terão duração de 45 minutos.

O que eles pensam:

Átila Abreu, piloto do carro #51

“O Velopark é uma pista que eu gosto muito, apesar de ser completamente diferente de outras do calendário. É como se fosse um kartódromo grande, mas tem o estilo que eu gosto, com curvas travadas, as retas curtas, o que exige um grande trabalho do piloto. Sempre consegui uma boa adaptação lá. Em 2011 teve a vitória em que eu menos liderei na minha carreira e que é inesquecível, e no ano passado teve o primeiro pódio com a Shell Racing. Então estamos muito animados para continuar o que começou muito bem em Goiânia”

Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing

“Esta é a pista mais atípica do calendário, com curvas de baixa e retas bem curtas. Tem as características mais de uma pista de rua do que de um autódromo, o que exige um acerto completamente diferente. Normalmente o Velopark é muito crítico para os freios nas corridas, pois o equipamento trabalha acima da temperatura ideal”

Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing