Átila Abreu parte neste fim de semana para a reta final da temporada da Stock Car, com a disputa da penúltima etapa, em Goiânia. Para se manter na briga pelo título, o sorocabano, que ocupa o terceiro lugar na tabela, precisa sair de Goiás com 59 pontos ou menos em relação ao líder, já que a última corrida, em Interlagos terá pontuação dobrada – o vencedor levará 60 pontos e hoje a desvantagem de Átila é de 66.

Na rodada dupla de Goiânia, Átila Abreu e os pilotos da Stock Car terão uma grande novidade a administrar: o aumento de 50 cavalos de potência no motor, já que a organização da categoria decidiu equalizar os motores a 500 cavalos.

Com a mudança, os tempos de volta devem cair sensivelmente, mas ao mesmo tempo os pilotos precisarão tomar cuidado com o desgaste de pneus, já que a borracha será mais exigida devido à maior potência transferida para a tração e a velocidade nas freadas será mais elevada.

Outro fator que deve mudar a dinâmica das corridas é o aumento do consumo de gasolina. O reabastecimento nas duas provas segue obrigatório, mas antes era possível completar algumas rodadas duplas sem operações tão longas nos boxes. Agora será necessário um pit stop mais longo para que a distância das duas bateria seja completada sem pane seca.

Este ano, Átila Abreu venceu uma corrida no Velo Città, mas foi em Goiânia que ele somou mais pontos (37), com um quinto e um segundo lugares. Diante disso, a expectativa do piloto do carro #51 é boa para se manter na briga pelo campeonato.

Serão disputados dois treinos livres na sexta-feira com a classificação sendo realizada às 13h (de Brasília) de sábado, com transmissão do SporTV2. No domingo, a primeira bateria tem largada prevista para as 13h e a segunda prova será corrida às 14h10, também com exibição ao vivo pelo SporTV2.

 

O que disse Átila Abreu:

“Os motores agora terão 500 cavalos, a potência mais alta da era moderna da categoria. Se as condições climáticas estiverem favoráveis, temos a possibilidade de estabelecer novos recordes na pista. É claro que esse acréscimo traz junto alguns desafios. Na guiada, o que mais pode alterar é o uso das marchas. Num trecho em que o piloto vinha em terceira e deixava o giro do carro atingir o limite antes de uma freada, agora pode ser melhor recorrer à quarta marcha, ganhar algo a mais em velocidade, e fazer uma redução a mais quando necessário. Só que mais potência também equivale a mais consumo de pneus e combustível. Então encontrar o melhor equilíbrio do carro e planejar bem a estratégia de reabastecimento nas provas pode ser decisivo. Este ano, a Shell Racing teve sua melhor etapa do ano na abertura do campeonato em Goiânia e foi o dia em que mais pontuei em 2017”

 

Classificação do campeonato:

1º D.Serra – 289 pontos
2º T.Camilo – 279
3º Á.Abreu – 223
4º F.Fraga – 222
5º M.Wilson – 203