Átila Abreu voltou nesta sexta-feira ao local da sua estreia na Stock Car, em 2006, e teve um desempenho bastante positivo no primeiro dia de treinos para a etapa de Buenos Aires. O piloto da Shell Racing terminou com o quarto melhor tempo.

Mais do que o resultado, a evolução conseguida por Átila durante a atividade foi satisfatória e o piloto da Shell Racing espera conseguir de novo um bom desempenho no treino classificatório deste sábado e nas baterias de domingo.

Terceiro colocado no campeonato a 45 pontos do líder, o sorocabano passou boa parte do treino de hoje testando diferentes soluções para o carro #51 e quase no fim acertou uma volta que o colocou mais uma vez entre os primeiros colocados.

Com isso, Átila tenta manter o consistente retrospecto que vem apresentando na temporada. Até agora, foram 12 top10 em 15 provas disputadas, com quatro pódios e uma vitória na segunda corrida no Velo Città.

Neste sábado, o sorocabano volta à pista para o segundo treino livre a partir das 10h10, com a classificação sendo disputada às 14h – o SporTV2 transmite ao vivo. No domingo, a largada para a primeira bateria será às 14h, com a segunda prova tendo largada às 15h10, com exibição também do SporTV2.


Tempos desta sexta-feira:

1º T.Camilo – 1m15s773
2º D.Serra – 1m16s334
3º M.Gomes – 1m16s374
4º Á.Abreu – 1m16s463
5º A.Pizzonia – 1m16s638

O que disse Átila Abreu:

“Uma pista muito divertida de pilotar, principalmente nas curvas 1 e 2, difíceis de encontrar no automobilismo brasileiro, talvez Cascavel com o Bacião. A primeira curva é muito longa, em quarta marcha a 180, 190 km/h, e desafia bastante o piloto, quanto mais você vai achando o limite, assusta, é divertido de andar! O grande problema que encontramos foi o desgaste de pneu, tentar equilibrar o carro para uma ou duas voltas e o carro piora tanto que você não sabe se mexer no carro tem efeito ou não, mas é assim para todo mundo. Vamos tentar fazer o melhor para entender os desafios que a pista vai nos proporcionar para ter um carro rápido na classificação pensando não só no Q1 mas no Q2 e Q3, ou seja, um carro rápido para passar no Q1 mas não desgastando tanto para o Q2 e o Q3. Terminamos bem o dia, em quarto, poderia ter sido melhor, mas alguns adversários talvez passaram um pneu um pouco melhor do que nós. Mas estou satisfeito com o carro, porém tem muito trabalho ainda e não dá para falar nada, qualquer mudança você pode achar muito tempo. Vamos trabalhar para nós acharmos esse tempo e não nossos adversários”